quinta-feira, 27 de abril de 2017

Testing, testing... E sai um molotoff!

Eu até tenho vergonha de dizer, mas nunca tinha feito uma coisa destas.

Então, como mamãe andava com vontades de de fazer experiências lá por casa, inspirada pelo super molotoff da prima Angelina, aproveitou-se uns dias em que estivemos na casa da sogra à espera que o rapaz pequeno se decidisse a nascer, e vai de se experimentar também, depois de muitas conferências e discussões de técnicas infalíveis via facebook e por telemóvel.

Afinal, não é assim tão complicado, até eu consigo fazer sem dar cabo da cozinha a alguém.


Precisamos de:

12 claras

12 colheres de sopa de açúcar branco

Caramelo a gosto



Como se faz:

Ligar o forno a 180ºC, untar uma forma com buraco no meio com margarina e espalhar caramelo a gosto no fundo e nos lados (gosto muito, obrigada, pode continuar a despejar na forma, sim?).

Bater as claras em castelo bem firme, adicionando as colheres de açúcar uma a uma, e batendo sempre.

Verter o preparado dentro da forma, alisar e levar ao forno em banho-maria durante cerca de 20 minutos.

Desligar o forno e deixar arrefecer o preeparado lá dentro.

Desenformar para um prato com borda, que perder o molho é pecado.




Com as gemas faz-se o doce de ovo com que se cobre o molotoff, e os mais lambões atrevidos podem acrescentar amêndoa laminada torrada.

Este molho foi feito pela sogra na Bimby, e é de se comer e chorar muito quando acaba.

As medidas costumam ser certas: se usarmos 8 claras, colocamos 8 colheres de açúcar e, supostamente, vai ao forno por 8 minutos.

Dependendo do forno, será melhor deixar mais tempo, até o topo começar a alourar.

Essencial é o banho-maria, e deixar dentro do forno até arrefecer, porque tirar assim que está cozinhado equivale à coisa baixar drasticamente de volume.


As claras até são a parte saudável da coisa, mas misturar caramelo com doce de ovos é capaz de nos dar um bilhete só de ida para o Inferno mais próximo...



quarta-feira, 26 de abril de 2017

Ponto da situação depois disto estar uns quantos séculos parado #57745885:

Nos entretantos, a família já cresceu, a ver se tenho tempo de manter isto a funcionar...

Eis a pequena jardineira:


E ajudante nos bolinhos...

(o mano ainda nem abre bem os olhos, mas esperem alguns meses para ver do que ele é capaz! Tipo, de manter os pais acordados à noite, por exemplo!)


As gangsta pollitas.


Ruby Julieta e Gaia.


E eis porque é que é difícil conseguir manter alguma coisa naqueles vasos...